"NOSSA VISÃO: CONHECER A CRISTO CRUCIIFICADO E TORNÁ-LO CONHECIDO, EM TODO LUGAR, POR MEIO DA GRAÇA."

sábado, 18 de fevereiro de 2017

CRESCENDO À MATURIDADE (44) SANTIDADE

E ali haverá bom caminho, caminho que se chamará o Caminho Santo; o imundo não passará por ele, pois será somente para o seu povo; quem quer que por ele caminhe não errará, nem mesmo o louco. Isaías 35:8.
As Escrituras afirmam que sem santificação ninguém verá o Senhor. Durante muito tempo e em muitas congregações vemos o infrutífero esforço de promoverem a santificação em pessoas não nascidas de novo, ou seja, imposição de santidade a indivíduos não regenerados. Isto é trágico. Isto produz farisaísmo hipócrita; religiosidade aparente ao ponto de convencer exteriormente, mas interiormente, são abomináveis. Mateus 23:27 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que, por fora, se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia!
Encontramos na Palavra de Deus que a regeneração é um ato; uma experiência imediata, e a santificação é um processo, uma experiência gradativa. E a santificação é o processo de Deus em nos conformar com a imagem de Seu Filho Jesus Cristo. A entrada para a santificação é o novo nascimento. A Bíblia diz que santificação sem regeneração é impraticável. Primeiro a regeneração, depois renovação ou santificação. Davi seguiu esta ordem. Leiamos Salmos 51:10 Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável.
A regeneração é o estabelecimento da vida de Cristo em nós. Esta se compõe pela destituição da nossa vida e da instituição da vida de Cristo em nós. A santificação é a permanência da vida de Cristo em nós. Este é o milagre permanente, ou seja, o divino habitando no humano. É o sublime Tesouro permanecendo no vaso de barro, porém limpo e puro. 2 Timóteo 2:21 Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar destes erros, será utensílio para honra, santificado e útil ao seu possuidor, estando preparado para toda boa obra.
A santificação é a evidência do novo nascimento. E, não perdendo de vista a nossa morte em Cristo, temos a manifestação da Sua vida em nosso corpo, existindo e agindo. Hoje as pessoas “evangélicas” se preocupam muito com o comportamento, mas qual seria o comportamento de Cristo vivendo em mim? Santidade. E isto também é verdade no Antigo Testamento: Ali, virei aos filhos de Israel, para que, por minha glória, sejam santificados. Êxodo 29:43.
Deus Pai em Seu muito amor com que nos amou, tirou a nossa vil e perversa vida e nos deu a Vida sublime do Seu Filho! E, esta vida gloriosa do Filho de Deus habitando em nós, é santidade. Então fica muito claro que crescer no conhecimento de Cristo é o crescimento da nova criatura, e este é o caminho da santificação. Portanto, a santificação consiste não em fazer, mas sim em ser. Porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. 1 Pedro 1:16.
Aquele que supõe que Jesus Cristo viveu, morreu e ressuscitou somente para prover justificação e perdão de pecados para o seu povo ainda tem muito a aprender. Consciente disso ou não, ele está desonrando o nosso bendito Senhor, transformando-O em um meio-Salvador apenas. O Senhor Jesus realizou tudo quanto é necessário para a nossa alma; não somente para livrar-nos da culpa do pecado, mediante a sua morte expiatória, mas também para nos livrar do domínio dos nossos pecados, conferindo o Espírito Santo aos nossos corações; não somente para nos justificar, mas também para nos santificar. Portanto, Ele não é apenas a nossa justificação, mas também é a nossa santificação. Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção. 1 Coríntios 1:30.
De fato Cristo é chamado de “o que santifica” e o seu povo é denominado “os que são santificados”. Hebreus 2:11 Pois, tanto o que santifica como os que são santificados, todos vêm de um só. Por isso, é que ele não se envergonha de lhes chamar irmãos.
A santificação, uma vez mais, é o resultado e a consequência inseparável da regeneração. Aquele que nasceu de novo e foi feito uma nova criatura, recebe uma nova natureza e um novo princípio, e passa a viver uma nova vida. Uma regeneração que permite que um homem viva descuidadamente no pecado ou no mundanismo é uma regeneração inventada por teólogos sem inspiração, mas jamais mencionada nas Escrituras. Pelo contrário, o apóstolo João expressamente diz em 1 João 3:6 Todo aquele que permanece nele não vive pecando; todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu.
A união com Cristo que não produz qualquer efeito sobre o coração e a vida não passa de uma união meramente formal, indigna diante de Deus. Alguém disse que “a fé que não envolve uma influência santificadora sobre o caráter da pessoa não é melhor que a fé dos demônios”. Está fé é morta, porque ela está sem Cristo. Não há maneira pela qual, por nós mesmos, possamos gerar santificação. Nossa santificação é Cristo. Não há maneira pela qual possamos ser bons. Nossa bondade é Cristo. Não há maneira pela qual possamos ser santos. Nossa santidade é Cristo. Todo homem e mulher que é santo em Cristo foram separados para o Senhor.  Ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo e separei-vos dos povos, para serdes meus. Levítico 20:26.

Em suma, onde não há santificação da vida, não há fé real em Cristo. O problema de muitos cristãos é que eles estão mais preocupados com sua doutrina da santidade do que com o fato de serem revestidos da beleza da pureza de Cristo. Deus ama tanto a pureza que prefere ver um buraco na roupa de seus filhos a enxergar uma mancha. Somos filhos de Deus em Cristo e a Sua vontade para nós seus filhos é a santificação. Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição. 1 Tessalonicenses 4:3. Amém.

Assista as ministrações em nosso canal no youtube

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

AS TÁBUAS DA ALIANÇA

CRESCENDO À MATURIDADE (43) AS TÁBUAS DA ALIANÇA

Ao qual pertencia um altar de ouro para o incenso e a arca da aliança totalmente coberta de ouro, na qual estava uma urna de ouro contendo o maná, o bordão de Arão, que floresceu, e as tábuas da aliança. Hebreus 9:4.
As tábuas da lei, também chamadas de “tábuas da aliança”, correspondem às tábuas de pedra conferidas a Moisés no Monte Sinai. Elas continham os Dez Mandamentos como preceitos divinos que deveriam ser observados pelo seu povo. Um detalhe importante é que estas tábuas de pedra também eram chamadas de tábuas do Testemunho, pois nos mostram os atributos de Deus como sendo: Zeloso, Cuidadoso, Fiel e Verdadeiro. Ele é Santo e Justo. E, tendo acabado de falar com ele no monte Sinai, deu a Moisés as duas tábuas do Testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus. Êxodo 31:18.
As tábuas da lei foram colocadas dentro da arca porque os mandamentos constituíam o regulamento da aliança de Deus com Israel. A lei é a Palavra de Deus. Se já cremos em nossa morte e ressurreição com Cristo, nossa próxima providência deve ser a busca do conhecimento da Palavra de Deus como escreveu Paulo em Colossenses 3:16 Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.
É verdade que o povo de Deus na Velha Aliança foi incapaz de cumprir os preceitos divinos, em virtude do pecado arraigado à natureza do homem pela queda de Adão. Porém a Lei do Sinai era um “tipo”, um “simbolismo” da lei interior prometida pelo Senhor e que viria através do ministério do Filho de Deus em um tempo posterior. Jeremias 31:33 Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o SENHOR: Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.
Vocês se lembram de que quando o maná e a vara que floresceu foram postos diante da lei, eles foram postos diante do Testemunho. Tudo foi colocado diante do Testemunho, ou seja, diante de Deus, pois não podia estar separado Dele.  Estar diante do Testemunho significa estar diante de Deus. Êxodo 16:33-34 Disse também Moisés a Arão: Toma um vaso, mete nele um gômer cheio de maná e coloca-o diante do SENHOR, para guardar-se às vossas gerações. Como o SENHOR ordenara a Moisés, assim Arão o colocou diante do Testemunho para o guardar.
No conceito humano, a lei são os dez mandamentos. Se estiver tentando guardar a lei de Deus, ela seguramente será os dez mandamentos para você. Mas se souber o que é a vida, e se, em vez de tentar guardar a lei, você andar com Deus, certamente perceberá que a lei é o Testemunho de Deus, a expressão de Deus. Romanos 8:2 Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte.
Se na época do Antigo Testamento você quisesse saber como era Deus, você tinha que consultar a lei, mas hoje, se quiser saber como Deus é, você deve ir a Jesus Cristo. No Antigo Testamento a lei era o Testemunho de Deus, mas hoje Jesus Cristo é o Testemunho vivo, pleno e adequado. E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. 1 João 5:11.
De todas as coisas relacionadas ao Tabernáculo, as tábuas do Testemunho são as mais elevadas. Elas não são apenas o item mais elevado; são também o mais central.  Como pessoas regeneradas e pessoas libertas do pecado, passamos a ser o templo de Deus. 1 Coríntios 3:16 Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?
Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo.
O nosso corpo é uma figura também do Tabernáculo. Nosso corpo é o átrio, nossa alma é o Santo Lugar, e nosso espírito é o Santo dos Santos. A lei da vida não está no átrio nem no Santo lugar, mas no Santo dos Santos. Por isso que a intenção de Deus não é que tentemos obedecer à lei, mas sim mostrar-nos quem é Ele. Não importa o quanto amamos a lei, não conseguiremos cumpri-la. Que deve Deus fazer, então? Ele disse em Hebreus 8:10 Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor: na sua mente imprimirei as minhas leis, também sobre o seu coração as inscreverei; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.
Isso não significa que devemos guardar a lei. Não, isso significa que a lei trabalhará a si mesma em nós, de dentro para fora. Isso revela por que Deus pôs a lei na arca e pôs a arca no Santo dos Santos. Como essa lei pode entrar em nós? Somente por meio de Cristo. Quando Cristo entra em nós, essa lei vem para o nosso interior. Quando recebemos Cristo, recebemos a lei. Quando cremos no Senhor, recebemos não a lei de Moisés que é um verdadeiro jugo de escravidão, mas a lei da liberdade em Cristo Jesus. Gálatas 5:1 Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.
Agora que temos essa lei em nós, não é mais questão de guardarmos a lei; é absolutamente uma questão de permitirmos que Cristo viva em nós. Não deveríamos tentar guardar a lei exteriormente, mas deixar Cristo viver em nós, de dentro para fora. Ninguém consegue guardar a lei. Por quê? Porque a lei é espiritual e o homem é “carnal vendido ao pecado”. O filho de Deus consegue? Também não! Por que não? Porque está crucificado e morto com Cristo, por isso vive pela lei da vida de Cristo nele. Porque eu, mediante a própria lei, morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim. Gálatas 2:19-20. Amém.


Assista as ministrações em nosso canal no youtube